domingo, 14 de maio de 2017

13 de Mayo de 2017 Centenario de las apariciones de Nuestra Madre en Fátima.

 

13 de Mayo de 2017

Centenario de las apariciones de Nuestra Madre en Fátima.








El 13 de Mayo de 1917 y en los siguientes 5 meses (los días 13) la Santísima Virgen María se le apareció a tres pastorcitos: Lucía, Jacinta y Francisco en la Cova de Iría, cerca de Fátima, Portugal. Les dio tres secretos los cuales debían ser dados a conocer completamente a más tardar en el año 1960, e hizo un pedido muy especial: CONSAGRAR A RUSIA A SU CORAZÓN INMACULADO...

Hermanos, en conmemoración del Centenario de las Apariciónes de la Santísima Virgen María en Fátima, en donde  fue depositado uno de los más importantes Mensajes, porque concierne al futuro de la humanidad, deseo resaltar las siguientes palabras pronunciadas por San Juan Pablo II, en Fulda, Alemania (1980) publicadas en la revista alemana Stimme des Glaubens y por el sitio www.fatima.org

La que sigue es la reproducción literal de la charla: Se le preguntó al Papa, “¿Qué hay sobre el Tercer Secreto de Fátima? ¿No debería haber sido ya publicado en 1960?” El Papa Juan Pablo II replicó:

“Dada la gravedad del contenido, mis predecesores en la Cátedra de Pedro prefirieron diplomáticamente aplazar la publicación para no alentar al poder mundial del Comunismo a tomar ciertas medidas. “Por otra parte, debería ser suficiente para todos los católicos saber esto: si hay un mensaje en el cual está escrito que los océanos inundarán todas las áreas de la Tierra, y que en un momento millones de personas perecerán, verdaderamente la publicación de tal mensaje ya no es algo tan de desear.”

domingo, 17 de novembro de 2013

MENSAGEM DA DIVINA MISERICÓRDIA E TERÇO DA DIVINA MISERICÓRDIA






MENSAGEM DA DIVINA MISERICÓRDIA
A Santa Faustina, uma religiosa polonesa da Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia,
que tinha uma confiança ilimitada em Deus, Jesus Cristo confiou uma grande missão
− a Mensagem da Misericórdia dirigida ao mundo inteiro. A sua missão consistia essencialmente em transmitir novas orações e formas de devoção à Divina misericórdia, que devem lembrar a esquecida verdade do amor misericordioso de Deus para com toda criatura humana. Na mensagem transmitida, Deus misericordioso revela-se em Jesus Cristo Salvador como Pai de amor e de misericórdia, especialmente diante dos infelizes, dos que erram e dos pecadores.

Santa Irmã Maria Faustina Kowalska (1905-1938)
 “És a secretária da Minha misericórdia.
Eu te escolhi para essa função nesta e na outra vida” (Diário, 1605).
“A tua tarefa é escrever tudo que te dou a conhecer sobre
a Minha misericórdia para o proveito das almas,
que lendo estes escritos experimentarão consolo na alma
e terão coragem de se aproximar de Mim” (Diário, 1693).

 “Hoje estou enviando-te a toda a humanidade com a Minha misericórdia. Não quero castigar a sofrida humanidade, mas desejo curá-la estreitando-a ao Meu misericordioso Coração (...) Antes do dia da justiça estou enviando o dia da misericórdia” (Diário, 1588).
O Salvador deseja que no mundo todo seja conhecida a misericórdia Divina, que toda pessoa que com confiança a Ele recorrer descubra a beleza e a riqueza da misericórdia cristã. A isso servem as novas formas do culto da Divina misericórdia e as promessas com elas relacionadas. 
“Abri o Meu Coração como fonte viva de misericórdia; que dela tirem vida todas as almas, que se aproximem desse mar de misericórdia com grande confiança. Os pecadores alcançarão justificação, e os justos serão confirmados no bem”
(Diário, 1520).
“A conversão e a perseverança são uma graça da Minha misericórdia” (Diário, 1577).
“As graças da Minha misericórdia coIhem-se com o único vaso, que é a confiança.
Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá” (Diário, 1578).
(veja Confiança - pe. Sopocko).



NOVAS FORMAS DE PRESTAR HONRA À DIVINA MISERICÓRDIA
A essência da devoção à Divina misericórdia é uma postura de confiança diante de Deus (cumprimento da Sua vontade) e a prática da misericórdia em relação aos semelhantes.
Essa é também a condição para o cumprimento das promessas que Jesus Cristo relacionou com as novas formas do culto da Divina misericórdia.


A IMAGEM DE JESUS MISERICORDIOSO
No dia 22 de fevereiro de 1931, Jesus Cristo apareceu a irmã Faustina numa cela do convento
de Plock (Polônia) e lhe recomendou que pintasse uma imagem, apresentando-lhe o modelo
na visão.
“Pinta uma imagem de acordo como modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós. Desejo que esta imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois, no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta imagem não perecerá. Prometo também, já aqui na Terra, a vitória sobre os inimigos e, especialmente, na hora da morte. (...) Quero que essa imagem, que pintarás com o pincel, seja benta solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia. Desejo que os sacerdotes anunciem essa Minha grande misericórdia para com as almas pecadoras” (Diário, 47-49).
 “Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia. Esse vaso é a imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós”
(Diário, 327).
“Por meio dessa imagem concederei muitas graças às almas; que toda alma tenha, por isso, acesso a ela” (Diário, 570).

A FESTA DA MISERICÓRDIA
 “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. (...). Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate”
(Diário, 699).

“Ainda que a alma esteja em decomposição como um cadáver e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração, e tudo já esteja perdido, Deus não vê as coisas dessa maneira. O milagre da misericórdia de Deus fará ressurgir aquela alma para uma vida plena” (Diário, 1448).

O TERÇO DA DIVINA MISERICÓRDIA
Jesus Cristo ditou a irmã Faustina o Terço da Divina Misericórdia em Vilna (Lituânia), nos dias 13-14 de setembro de 1935, como uma oração para aplacar a ira Divina e pedir perdão pelos nossos pecados e pelos pecados do mundo inteiro.
“Por ele [o Terço da Divina Misericórdia] conseguirás tudo, se o que pedires estiver de acordo com a Minha vontade” (Diário, 1731).
“Recita, sem cessar, este Terço que te ensinei. Todo aquele que o recitar alcançará grande misericórdia na hora da sua morte. Os sacerdotes o recomendarão aos pecadores como a última tábua de salvação. Ainda que o pecador seja o mais endurecido, se recitar este Terço uma só vez, alcançará a graça da Minha infinita misericórdia” (Diário, 687).
"Pela recitação deste Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam. Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz. Escreve isto para as almas atribuladas: Quando a alma vir e reconhecer a gravidade dos seus pecados, quando se abrir diante dos seus olhos todo o abismo da miséria em que mergulhou, que não se desespere, mas antes se lance com confiança nos braços da Minha misericórdia, como uma criança no abraço da sua querida mãe. Essas almas têm prioridade no Meu Coração compassivo, elas têm primazia à Minha misericórdia. Diz que nenhuma alma que tenha invocado a Minha misericórdia se decepcionou ou experimentou vexame. Tenho predileção especial pela alma que confiou na Minha bondade. "Escreve que, quando recitarem esse Terço junto aos agonizantes, Eu Me colocarei entre o Pai e a alma agonizante não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso"
(Diário, 1541).

 “Defendo toda alma que recitar esse terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória, ou quando outros o recitarem junto a um agonizante, eles conseguem a mesma indulgência. Quando recitam esse terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, a misericórdia insondável envolve a alma...”
(Diário, 811).
Para ser rezado nas contas do terço. “No começo:
Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.
Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por n6s, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.
Creio em Deus Pai, todo-poderoso, criador do Céu e da Terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espirito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espirito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

Nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.
Nas contas da Ave-Maria
rezarás as seguintes palavras:
Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.
No fim, rezarás três vezes estas palavras:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro” (Diário, 476).


A HORA DA DIVINA MISERICÓRDIA
Em outubro de 1937, em Cracóvia (Polônia), Jesus Cristo recomendou que fosse honrada a hora da Sua morte e que ao menos por um instante de oração se recorresse ao valor e aos méritos da Sua paixão.
“...às três horas da tarde, implora à Minha misericórdia especialmente pelos pecadores e, ao menos por um breve tempo, reflete sobre a Minha Paixão, especialmente sobre o abandono em que Me encontrei no momento da agonia. Esta é a Hora de grande misericórdia para o Mundo inteiro. Permitirei que penetres na Minha tristeza mortal. Nessa hora nada negarei à alma que Me pedir pela Minha Paixão...” (Diário, 1320).
“...que todas as vezes que ouvires o bater do relógio, às três horas da tarde, deves mergulhar toda na Minha misericórdia, adorando-A e glorificando-A. Implora a onipotência dela em favor do Mundo inteiro e especialmente dos pobres pecadores, (...) Nessa hora, conseguirás tudo para ti e para os outros. Nessa hora, realizou-se a graça para todo o Mundo: a misericórdia venceu a justiça (...) procura rezar, nessa hora, a Via-sacra e, se não puderes fazer a Via-sacra, entra, ao menos por um momento, na capela e adora o Meu Coração, que está cheio de misericórdia no Santíssimo Sacramento. Se não puderes sequer ir à capela, recolhe-te em oração onde estiveres, ainda que seja por um breve momento. Exijo honra à Minha misericórdia de toda criatura” (Diário, 1572).
“A fonte da Minha misericórdia foi na cruz aberta com a lança para todas as almas,
− não excluí a ninguém” (Diário, 1182).

DIVULGANDO A DEVOÇÃO DA DIVINA MISERICÓRDIA
− ATOS DE MISERICÓRDIA
 “...faz o que está ao teu alcance pela divulgação do culto da Minha misericórdia. Eu completarei o que não conseguires. Diz à Humanidade sofredora que se aconchegue no Meu misericordioso Coração, e Eu a encherei de paz. (...) Quando uma alma se aproxima de Mim com confiança, encho-a com tantas graças, que ela não pode encerrá-las todas em si mesma e as irradia para as outras almas. As almas que divulgam o culto da Minha misericórdia, Eu as defendo por toda a vida como uma terna mãe defende seu filhinho...” (Diário, 1074-1075).
“Aos sacerdotes que proclamarem e glorificarem a Minha misericórdia darei um poder extraordinário, ungindo as suas palavras, e tocarei os corações daqueles a quem falarem” (Diário, 1521).
 “Deves mostrar-te misericordiosa com os outros, sempre e em qualquer lugar. Tu não podes te omitir, desculpar-te ou justificar-te. Eu te indico três maneiras de praticar a misericórdia para com o próximo: a primeira é a ação, a segunda a palavra e a terceira a oração. Nesses três graus repousa a plenitude da misericórdia, pois constituem uma prova irrefutável do amor por Mim. É deste modo que a alma glorifica e honra a Minha misericórdia” (Diário, 742).

NOVA CONGREGAÇÃO
Irmã Faustina procurava compreender o plano Divino da fundação de uma nova congregação.
Nessa intenção oferecia a Deus muitas orações e sofrimentos. Em junho de 1935, em Vilna
(Lituânia), anotou:
“Deus está exigindo que haja uma Congregação que proclame ao mundo a misericórdia de Deus e que a peça para o mundo” (Diário, 436).
“Incessantemente pedirão a misericórdia de Deus para si mesmas e para todo o mundo, e toda obra de caridade será decorrente do amor de Deus, do qual estão embebidas. Procurarão se familiarizar com esse grande atributo de Deus e viver com ele e esforçar-se para que outros o conheçam e confiem na bondade de Deus” (Diário, 664).
“Hoje vi o convento dessa nova Congregação. Amplas e grandes instalações. Eu visitava cada peça sucessivamente. Via que em toda a parte a providência de Deus havia fornecido o que era necessário (...). Durante a Santa Missa veio-me a luz e uma profunda compreensão de toda essa obra, e não deixou em minha alma qualquer sombra de dúvida. O Senhor deu-me a conhecer Sua vontade como que em três matizes, mas é uma só coisa.
O primeiro: Que as almas separadas do mundo arderão em sacrifício diante do Trono de Deus e pedirão misericórdia para o mundo inteiro... E pedirão a bênção para os sacerdotes e, por sua oração, prepararão o mundo para a última vinda de Cristo.
Segundo: A oração unida com o ato de misericórdia. Especialmente defenderão do mal as almas das crianças. A oração e as obras de misericórdia encerram em si tudo que essas almas devem fazer; na sua comunidade podem ser aceitas até as mais pobres e, no mundo egoísta, procurarão despertar o amor, a misericórdia de Jesus.
Terceiro: A oração e as obras de misericórdia não obrigatórias por voto, mas, pela sua realização, as pessoas podem participar de todos os méritos e privilégios da Comunidade. A este grupo podem pertencer todas as pessoas que vivem no mundo. O membro deste grupo deve praticar ao menos uma obra de misericórdia por dia, mas pode haver muitas, pois cada um, por mais pobre que seja, pode fazer isso. (...) existe uma tríplice forma de praticar a misericórdia: a palavra misericordiosa − pelo perdão e pelo consolo; em segundo lugar − onde não é possível pela palavra, oração − e isso também é misericórdia; em terceiro − obras de misericórdia. E, quando vier o último dia, seremos julgados segundo tais disposições e, de acordo com isso, receberemos a sentença eterna”
(Diário, 1154-1158).

domingo, 22 de setembro de 2013

HORA DAS ALMAS - ORAÇÃO DE SANTA GERTRUDES








Hora das Almas N. 1

E-mail Imprimir PDF
Santa Hora das Almas N.1

Desde o dia 25 de julho de 1993, Nosso Senhor Jesus Cristo, Maria Santíssima, São José, os Santos e os Anjos de Deus aparecem na  cidade de Carapicuíba-SP/ Brasil ao jovem vidente Renato Nascimento e comunicam mensagens de conversão, santidade e retorno a comunhão com o Senhor atraves, da frequencia dos Sacramentos, da Oração do Santo Rosário e da obediênica a Santa Igreja e às Sagradas Escrituras.
No dia 07 de Julho de 2013, mês do Aniversário das Aparições de Carapicuíba o jovem Renato foi agraciado com a visita da Grande Santa Gertrudes de Helfta, Apóstola e Esposa do Sagrado Coração de Jesus. Foi então nesta grande visita que Santa Gertrudes pediu ao jovem Renato uma Oração que Ela chamou 'HORA DAS ALMAS', através da seguinte mensagem a ele comunicada neste dia:

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Mensagem ao nosso saudoso e querido sacerdote Dom Ottávio Michellini em 18/09/1975, na Itália:


Mensagem ao nosso saudoso e querido sacerdote Dom Ottávio Michellini em 18/09/1975, na Itália:

“EU ESTOU no meio de vós”

         "Filho, nos Meus anteriores colóquios não faltaram alusões à Minha Presença no meio de vós. Hoje, pretendo voltar a chamar a atenção para esta Divina realidade, da qual se podem tirar dons inestimáveis, no que toca à vida espiritual e eterna; quer material, quer terrena.
            EU, JESUS, Verbo eterno de DEUS desde sempre gerado pelo PAI, feito Carne, na plenitude dos tempos, no seio virginal de Minha MÃE Santíssima e Vossa MÃE misericordiosa, EU ESTOU Gloriosamente presente a direita do PAI, na Glória do Paraíso.

            ESTOU realmente presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade em todas as Hóstias consagradas do mundo; ESTOU e estarei no meio de vós até a consumação dos séculos; até o fim dos tempos.

            Como é que então muitos se interrogam acerca do porque da Minha Presença no meio dos homens?
            Por que é que EU quis estar no meio de vós, conhecendo bem, desde sempre, que tratamento ME estaria reservado pelos homens? Ódio, ofensas, injúrias, frieza, ainda que não tenham faltado, não faltem e nunca venham a faltar as almas generosas que ME desagravam do mal dos ímpios.
            O porque da Minha Presença no mundo tem uma única resposta, Meu filho: o amor!

            Como é que concretizo a Minha Presença no Meu Corpo Místico? Em primeiro lugar, pelo dom da Minha Palavra.
            Confiei à Igreja o patrimônio, o depósito espiritual da Minha palavra, que é Palavra de Vida e de Verdade. Protegi este Tesouro com a assistência do ESPÍRITO SANTO.

EU SOU a Verdade, a vida que a Minha Igreja pode mostrar com segurança a todos as almas, sem sombras de ilusão.
Os ataques contra MIM, Palavra de DEUS, ao longo dos séculos, foram contínuos e ferozes. Heréticos, pseudo-mestres e mentirosos, subornados sem tréguas, pelo maligno, fizeram de tudo para ME apagar da face da Terra; a MIM, Verdade, Vida; a MIM, Palavra de DEUS! Inutilmente, porém.

Em seguida, este século materialista não deixa de lado nenhum meio, nenhuma tentativa para também ME destruir: seitas, partidos ateus, correntes envenenadas de filosofias perversas e destruidoras de todos ao mais sublimes valores espirituais, valores de verdadeira civilização.

Será possível que os homens tenham a memória tão curta, de modo que não se lembram mais da trágica história deste século (XX), que é a vossa história?
O que é extremamente triste é que muitos dos Meus sacerdotes, em vez de se fiarem humildemente no Magistério infalível da Minha Igreja, erigindo-se em mestres, com presunção, tenham se tornado responsáveis pela difusão de várias heresias, com grande dano para as almas.
Por que é que muitos dos Meus sacerdotes se tornam os promotores, com satanás, de tanto dano para as almas?
O orgulho cega, sim , verdadeiramente ele cega.

            EU ESTOU no meio de vós, filho, na pessoa do Meu Vigário.
            A ele foi dado todo o poder para apascentar os cordeiros e as ovelhas. Quem o ama, ama-ME; a MIM. Quem não o escuta, não ME escuta; a MIM. Quem o combate, combate-ME; a MIM!

            Ele sobe o seu Calvário, dia após dia, mas muitos não se apercebem disso. Ele chora pelo seus filhos que se tornam lobos devoradores e fazem um massacre no seu rebanho. Como EU, ele tornou-se objeto de escárnio, de ódio e de guerra.
            Ele mantêm-se ao leme da minha nau nesta triste hora em que o mar está fortemente agitado, e a surda agitação das vagas pressagia uma próxima tempestade selvagem.

            Meu filho é necessário manter-se ao pé do Meu Vigário, do doce CRISTO da Terra. É necessário ampará-lo pela oração e pela oferta do sofrimento. É necessário amá-lo e faze-lo amar.
            Tudo o que de bom ou mau é feito a ele, é feito a MIM mesmo. É necessário defendê-lo das freqüentes intrigas satânicas de seus inimigos.
            EU ESTOU nele, ESTOU presente na Igreja na sua pessoa.

            Filho, ESTOU ainda presente na Minha Igreja pelo mistério do amor e da fé, quer dizer, no Mistério da EUCARISTIA.

            ESTOU verdadeiramente presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade.
            Esta Minha Presença, se fosse acreditada, sentida, vivida em toda a sublime e maravilhosa realidade Divina, por todos os Meus sacerdotes, transformar-se-ia num tal fermento de purificação e de sobrenaturalização que os Meus sacerdotes poderiam, por si sós, transformar rapidamente o rosto da Igreja, e arrancar do Meu Coração Misericordioso Graças e mesmo milagres impensados.

            Infelizmente, porém, não são muitos os que crêem firmemente. A maior parte acredita debilmente. Não faltam os que não acreditam nada na Minha Presença Eucarística.
            Com razão tem falado várias vezes o Meu Vigário na Terra, da crise de fé, causa e origem de inúmeros males.

            Há uma quarta forma da Minha Presença na Terra: EU ESTOU realmente presente nos Meus santos.
            São santos os que vivem da Minha Vida Divina. ESTOU realmente presente nos Meus santos que perseguem, com a maior tenacidade, as mais árduas conquistas de todas as virtudes cristãs.

            EU ESTOU realmente presente naqueles que sofrem; onde há sofrimento, EU ESTOU.
            ESTOU, em seguida, presente nas almas vítimas. Nelas acho as Minhas complacências, as Minhas alegrias. Elas desagravam-ME abundantemente das ofensas, dos insultos, das blasfêmias e dos sacrilégios daqueles que não ME amam.
            Elas fazem as delícias de Meu PAI. Foram as almas vítimas que mitigaram, pararam a cólera de Meu PAI, por causa das iniqüidades desta geração perversa que, em vez de se dessedentar na Fonte de Água Viva e Pura, aspira a dessedentar-se nas águas putrefatas e lodosas dos pântanos saturados de miasmas.

            Meu filho ama-ME, só a MIM, com o teu amor, com a tua fé, com a tua oferta.
            Abençôo-te, e contigo abençôo as pessoas pelas quais diariamente rezas."



- “Louvado seja nosso Senhor JESUS CRISTO e Sua Santíssima MÃE, a Virgem MARIA!”



“Onde estão os pecados, aí está a multiplicidade, aí o cisma, aí as heresias, aí as controvérsias. Onde, porém,  a virtude, aí a unidade, aí a comunhão, em força da qual os crentes eram um só coração e uma só alma.” (Catecismo, 817).

“Rogo-vos, irmãos, que desconfieis daqueles que causam divisões e escândalos, apartando-se da doutrina que recebestes. Evitai-os! Esses tais não servem a CRISTO nosso Senhor, mas ao próprio ventre. E com palavras adocicadas e linguagem lisonjeira enganam os corações simples.” (Rm. 16,17-18).

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

AS 15 ORAÇÕES DE SANTA BRÍGIDA


AS 15 ORAÇÕES DE SANTA BRÍGIDA

        
(REVELADAS POR JESUS À SANTA BRIGIDA NA IGREJA DE SÃO PAULO EM ROMA)

         Estas orações foram APROVADAS pelo PAPA PIO IX em 31/05/1862, que as reconheceu como autênticas e de grande proveito para as almas.


        
AS PROMESSAS DE JESUS:

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

God the Father: Soon, a new Light, a new sun, will be seen

God the Father: Soon, a new Light, a new sun, will be seen

 

My dearest daughter, this is a Message of great hope for all My children.
The time for the changes, as foretold, when the earth will turn; the planets will change and the climates will no longer be predictable, is upon you.
My Great Power is now being manifested in Heaven, as it is on earth, as I lead the battle against My enemies. Satan and his demons are being defeated, but they put up a terrible defence. With them, they suck My poor children, whose hearts are filled with political and worldly ambitions, into playing a role, as they try to crucify My children.
Man is weak. Man is easily seduced. Because of his blindness to the Truth, laid down by Me, from the beginning of Creation, man believes in lies. He believes the lies, spewed out by the evil one, because he is attracted by the promises of power and pleasure.
My children must acknowledge the glorious and splendid Light of My Kingdom. You, My daughter, have seen this Light and you know how Powerful it is. You know the Power of God, and how it envelops you. Can you imagine what this will be like when My New Paradise is revealed? You, My daughter, have glimpsed but just a small portion of this glorious and gleaming Light.
It is important to welcome the Light of My Son into your hearts. When you invite Him to salvage you, and take you into His Sacred Heart, you will feel this Light.
The Light of the New Dawn – the New Era – will slowly, but surely, illuminate the world. Soon, a new Light, a new sun, will be seen. It will be larger and will be the cause of much wonder.
This is a Sign of My Power and My Majesty. It will be a miracle and will prove that man does not fully understand the secret of creation.
Only I, God the Creator of the Universe, command all that is. All that will be. All that can be. No man, no scientist, can solve these most sacred secrets, as it is not for man to understand at this time.
The wonders of My Creation, and the force of My Power, will be shown to the world. Let no man make the error of believing that Satan, and his wicked followers, have any power to bring you the wonders which I have Created for every single creature. I have promised to reveal the Truth so that you, My children, can wipe away the cobwebs which cover your eyes.
When the Day comes for the Truth to be finally accepted by you, I will grant you the most splendid riches, graces and a life you could never envisage, for it is beyond your imagination.
I am happy to impart this message of hope today. I hope it brings you much happiness and peace.
My Promise, to bring you to your final inheritance, is to become a reality, soon.
Your Loving Father
God the Most High

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Profecia de São Nilo Sobre nossos tempos!!!

Profecia de São Nilo Sobre nossos tempos!!!

Depois do ano 1900, por meados do século XX, as pessoas desse tempo tornar-se-ão irreconhecíveis ... Quando se aproximar o tempo da vinda do Anticristo, a inteligência dos homens será obscurecida pelas paixões carnais: a degradação e o desregramento acentuar-se-ão. O mundo, então, tornar-se-á irreconhecível. As pessoas mudarão de aparência, e será impossível distinguir os homens das mulheres, por causa do atrevimento na maneira de se vestir e na moda de seus cabelos. Essas pessoas serão desumanas e como autênticos animais selvagens, por causa das tentações do anticristo. Não se respeitará mais os pais e os mais idoso. O amor desaparecerá. E os pastores cristãos, bispos e sacerdotes, serão homens frívolos, completamente incapazes de distinguir o caminho à direita, ou à esquerda. Nesse tempo as leis morais e as tradições dos cristãos e da Igreja mudarão. As pessoas não praticarão mais a modéstia e reinará a dissipação! A mentira e a cobiça atingirão grandes proporções, e infelizes daqueles que acumularão riquezas! A luxúria, o adultério, a homossexualidade, as ações secretas e a morte serão a regra da sociedade. Nesse tempo futuro, devido o poder de tão grandes crimes e de uma tal devassidão, as pessoas serão privadas da graça do Espírito Santo, recebida no seu batismo, e nem sequer sentirão remorsos. As Igrejas serão privadas de pastores piedosos e tementes a Deus, e infelizes dos cristãos que restarem sobre a terra, nesse momento! Eles perderão completamente a sua Fé, porque não haverá quem lhes mostre a luz da verdade. Eles se afastarão do mundo, refugiando-se em lugares santos, na intenção de aliviar os seus sofrimentos espirituais, mas, em toda a parte, só encontrarão obstáculos e contrariedades. Tudo isto resultará do fato de que o Anticristo deseja ser o senhor de todas as coisas, e se tornar o mestre de todo o Universo. Ele realizará milagres e sinais inexplicáveis.Dará também a um homem sem valor uma sabedoria depravada, a fim de descobrir um modo pelo qual um homem possa ter uma conversa com outro, de um canto ao outro da terra. Nesse tempo, os homens também voarão pelos ares como os pássaros, e descerão ao seio do oceano como os peixes. E quando isso acontecer, infelizmente, essas pessoas verão as suas vidas rodeadas de conforto, sem saber, pobres almas, que tudo isso é uma fraude de Satanás. E ele, o ímpio, inflará a ciência da vaidade, a tal ponto que ela se afastará do caminho certo e conduzirá as pessoas à perda da Fé na existência de Deus, de um Deus em Três Pessoas... Então, Deus, infinitamente Bom, verá a decadência da raça humana, e abreviará os dias, por amor do pequeno número daqueles que deverão ser salvos, porque o Inimigo desejaria arrastar mesmo os eleitos à tentação, se isso fosse possível. Então a espada do castigo aparecerá de repente e derrubará o corruptor e seus servidores.